Tamanho do texto

Violência, erotismo, racismo e mais: relembre os oito games mais polêmicos

Os jogos de videogame deveriam ser puro entretenimento, mas, muitas vezes, não é isso o que acontece. De tempos em tempos, jogos bizarros sempre aparecem para gerar polêmicas.

+ Mito ou verdade? Especialistas falam se é possível games influenciarem tragédias

A série GTA é sinônimo de polêmica, mas o game ainda é menos absurdo do que outros jogos que geram controvérsia
Reprodução
A série GTA é sinônimo de polêmica, mas o game ainda é menos absurdo do que outros jogos que geram controvérsia

Se você acha que a série Grand Theft Auto é o auge das polêmicas nos games, ainda não viu nada: jogos com premissas racistas e violentas fazem o GTA ser fichinha. Veja abaixo a lista dos oito jogos mais polêmicos de todos os tempos:

Grand Theft Auto

Apesar de ser considerada leve quando comparada a outros títulos da lista, a série Grand Theft Auto é uma das mais controversas dos videogames. Nos games, o jogador se torna um bandido que tem completar missões e, no meio do caminho, pode assassinar pessoas, roubar carros e se tornar o criminoso mais procurado do mundo.

Super Columbine Massacre RPG

Super Columbine Massacre RPG
Reprodução
Super Columbine Massacre RPG


O RPG inspirado no Massacre de Columbine, que deixou 15 mortos na Columbine High School em 1999, coloca o jogador no lugar dos atiradores Eric Harris e Dylan Klebold e mostra passagens do passado dos assassinos. A história começa no massacre e segue os rapazes, que se mataram após o atentado, em aventuras no inferno.

South Park: The Stick of Truth

South Park: The Stick of Truth
Reprodução
South Park: The Stick of Truth

South Park já é uma série polêmica por si só e isso não mudou quando ela virou um jogo. O game foi lançado em 2004 e proibido na Austrália e em países da Europa por mostrar aliens fazendo sexo anal. Além disso, a personagem principal faz um aborto. Na Alemanha, a coisa ficou ainda mais feia porque o jogo usa imagens relacionadas a Adolph Hitler e ao Nazismo, o que o fez ser banido imediatamente após o lançamento.

Postal

Postal
Reprodução
Postal

A série Postal tem três títulos e todos seguem a mesma premissa: sair por aí fazendo coisas horríveis sem objetivo algum. Entre essas coisas horríveis, estão assassinar pessoas e até gatinhos. Ao contrário de GTA, o jogo não segue uma linha e as maldades são aleatórias. Além disso, o game é criticado por promover a homofobia e o racismo. Postal é proibido na Nova Zelândia, Malásia, Alemanha e França.

Resident Evil 5

Resident Evil 5
Reprodução
Resident Evil 5

Até uma das séries mais famosas do mundo já foi alvo de polêmica. Resident Evil 5 foi lançado em 2009 e enfrentou acusações de racismo. Isso porque o game se passa em um vilarejo na África onde os habitantes estão infectados por um vírus zumbi. Os críticos do jogo reclamaram que todos os inimigos eram negros – entretanto, o game apresentou mais diversidade racial entre os zumbis.

+ O ranking definitivo dos principais games da série Resident Evil

Ethnic Cleansing

Ethnic Cleansing
Reprodução
Ethnic Cleansing


O jogo é exatamente o que o nome sugere: uma limpeza étnica. O objetivo do game é matar latinos, negros e judeus. Para isso, o jogador pode escolher entre ser um skinhead ou um membro da Ku Klux Klan. O game ainda mostra o ex-Primeiro Ministro de Israel Ariel Sharon, que é um dos alvos do assassino.

Mass Effect

Mass Effect
Reprodução
Mass Effect

Em 2008, Mass Effect virou tema de polêmica na imprensa dos Estados Unidos. O canal FOX News iniciou um debate afirmando que o game do Xbox mostra uma cena de sexo e atacando a Microsoft por mostrar conteúdo erótico para crianças. A EA, produtora do game, saiu em defesa de seu título e pediu para a FOX retificar a reportagem.

+ 10 games para ficar de olho em 2017

Manhunt

Manhunt
Reprodução
Manhunt

Um dos jogos mais violentos de todos os tempos, Manhunt criou polêmica por supostamente ter inspirado um adolescente a cometer um assassinato, o que fez o game ser banido na Austrália. Isso não desencorajou os produtores a fazer uma segunda edição do jogo, que ficou conhecida por ser um dos poucos títulos proibidos para menores de idade por causa da violência excessiva. Até 2008, a série já tinha vendido cerca de 1,7 milhão de cópias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.