Tamanho do texto

Listamos dez coisas que todo fã da franquia Resident Evil precisa saber; novo game da Capcom será lançado em 24 de janeiro para PS4, Xbox One e PC

O novo Resident Evil chegará aos consoles em 24 de janeiro deste ano, e com isso, iniciou-se uma contagem regressiva para o lançamento do tão esperado game de matar zumbis . Para que os fãs possam se preparar para isso, listamos dez coisas que todo fã da franquia precisa saber antes de jogar. Confira:

Resident Evil 7 revela benefícios exclusivos do passe de temporada

Resident Evil: Dez coisas que você precisa saber antes de jogar o novo game da franquia
Divulgação
Resident Evil: Dez coisas que você precisa saber antes de jogar o novo game da franquia

1- Nome diferente

No Japão, onde Resident Evil surgiu, o game se chama Biohazard . Quando o conteúdo foi exportado para os EUA, contudo, já existia uma banda de metal pesado e um game para MS-DOs usando esse nome. Dessa forma, o jogo foi rebatizado no Ocidente. O sétimo título da franquia, e próximo lançamento da Capcom recupera esse nome, sendo Resident Evil 7: Biohazard.

2- Erva cor-de-rosa

Nos games da franquia, é comum que os jogadores encontrem as ervas azuis, vermelhas, verdes e amarelas. Para encontrar a lendária erva-cor-de-rosa, porém, é necessário acessar o game através de um Game Shark ou Action Replay Pro. Muitos jogadores afirmam que ela não passa de lenda, contudo, há diversos relatos de ervas dessa cor que já foram encontradas. Ela, de fato, existe, mas a Capcom a removeu do game antes de seu lançamento por motivos nunca revelados.

3- Fantasmas

Inicialmente, os seres sobrenaturais que os personagens devem assassinar na franquia seriam fantasmas, assim como em Sweet Home, o clássico de NES também da Capcom que nunca saiu do Japão, que inspirou a saga. Contudo, o diretor decidiu trocá-los por zumbis, afim de dar uma abordagem mais científica à trama. A partir desse ponto, surgiu toda a história da misteriosa infecção que transforma os seres humanos em zumbis.

Castlevania, Medal of Honor e +: Cinco franquias que deveriam ser revividas

4- O compositor surdo

Considerado como um "Bethoveen japonês", Mamoru Samuragochi, compositor musical da franquia, supostamente era surdo. Contudo, ao longo do processo de composição, descobriu-se que ele não era surdo e que suas músicas foram compostas por outra pessoa.

5- Como se fosse em 1996

Em Resident Evil 5, ao tentar sair da mansão três vezes seguidas, acontece uma coisa inusitada: a câmera fica em uma posição estática, igual ao primeiro game da franquia, lançado em 1996. Isso foi uma grande dose de nostalgia para os fanáticos da série. Afinal, se for para retornar à mansão, que seja em grande estilo.

6- Espanhol que não é da Espanha

No quarto game da franquia, que se passa em um vilarejo da Espanha, a dublagem em espanhol não foi feita por espanhóis, mas sim, por mexicanos. Parece chato implicar com esse detalhe? Quem não fala a língua nem percebe, mas é como quando as produtoras usam portugueses para dublar personagens brasileiros.

7- Finais alternativos

Considerado um dos pioneiros para a sua época, o primeiro game da franquia foi um dos primeiros jogos a oferecer finais alternativos, que dependem das escolhas do jogador durante a trama. A principal diferença entre eles está em quantos personagens são salvos. Isso perdurou até o terceiro jogo, e deixou de ser usado ao longo dos anos.

8- Atores reais

Apesar de hoje ser considerada bem tosca, a introdução do primeiro Resident Evil, lançado há mais de 20 anos, foi considerada um sucesso sem precedentes na época. Isso por usar a tecnologia FMV, ou Full Motion Video, que trazia atores reais usando fantasias e realizando cenas de violência icônicas dentro da mansão.

9- FPS?

Originalmente, a ideia era que a franquia fosse um shooter em primeira pessoa. Contudo, a mudança para a clássica terceira pessoa veio por influência do game Alone in the Dark, que fazia sucesso na época e foi um dos precursores do gênero de survival de horror.

Halo Wars 2 ganhará novo teste beta ainda neste mês

10- Devil May Cry

Devil May Cry era para ser um integrante da franquia Resident Evil, mais precisamente, o quarto game da série. Contudo, após a finalização do desenvolvimento, os produtores perceberam que o game havia se desviado muito de sua história original. Gostando do que foi criado, decidiram lançar o game com outro título, e desenvolver um novo game para a franquia.

    Leia tudo sobre: PS4
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.