Tamanho do texto

Além do cenário independente possibilitar maior liberdade de expressão aos desenvolvedores, também porporciona retornos maiores aos criadores

O consumo de games no País é promissor. Segundo o último levantamento feito pela Newzoo, instituição especializada no mercado de jogos eletrônicos, o Brasil vigora como 12º no ranking de países com maior receita em vendas de jogos, ficando atrás apenas de mercados como a China, EUA, Japão e a Coréia do Sul.

+Os jogos para PS4 mais aguardados de 2017

O cenário independente de jogos produz desde títulos autorais até encomendas de clientes
Georgejmclittle/shutterstock
O cenário independente de jogos produz desde títulos autorais até encomendas de clientes





Nesse nicho, o mercado de jogos indie, ou produzidos de forma independente, tem despontado, tanto que no Brasil é possível listar empresas que faturam alto com essa demanda. E é justamente nessa parcela de mercado que está a desenvolvedora Flux Game Studio.

Para o fundador da empresa de games online, Paulo Luis Santos, o grande diferencial da produção independente de jogos está em ter o total controle sobre o produto que está sendo criado, uma vez que nesse segmento existe maior liberdade de explorar propostas audaciosas.

Outro ponto destacado por Santos é que por ser uma indústria não condicionada aos padrões tradicionais do mercado, é possível desenvolver games que abordam questões mais polêmicas, ou seja, “projetos que se fossem levados por uma empresa maior não chegariam nem mesmo a ver a luz do dia”, disse o empresário. Ao ressaltar que as grandes corporações do setor não abrem margem para a inovação.

+Titan Souls, The Swidle e +: veja os games gratuitos da PS Plus em janeiro

Divulgação

Outro ponto destacado por Paulo Luis Santos é a dificuldade e os custos de divulgação de seus jogos independentes. Segundo ele, a questão marqueteira, embora seja essencial para levar o projeto adiante, não deve superar a qualidade do jogo. “Um não sobrevive sem o outro”, enfatiza. Por outro lado, jogos mainstream, com um alcance maior de público chegam até mesmo ter custo estimado de publicidade que equivale a 50% de seu orçamento.

 O empresário revelou que empresas já investiram até mais do que isso em divulgações.

Outra alternativa, segundo o fundador da Flux Games, para divulgação do trabalho independente são os eventos de games. Para os produtores – seja independente ou não –, esse é o momento de identificar como o projeto é recepcionado. “Ali você começa a entender o que está funcionando no jogo ou não. Às vezes a equipe está tão enérgica no projeto que existe a dificuldade de olhar de longe o que está sendo feito. Ver o jogo que você, junto da sua equipe, produziu nas mãos de pessoas que não conhecem é muito rico, gera novos insights”.

Atualmente a Flux Game está com o projeto Gory UltimateTournament Show (GUTS), que foi levado ao público pela primeira vez na última edição do Brasil Game Show (BGS), um dos maiores eventos de game da América Latina. É possível conferir o vídeo de apresentação do jogo no evento clicando aqui .

O empreendedor acredita que, assim como o mercado de jogadores mudou, os desenvolvedores também mudaram. No sentido positivo, pois hoje a produção é muito mais madura com o trabalho independente. O que é natural para o empresário, uma vez que empresas vão criando jogos mais legais e interessantes, essa percepção (de um jogo de melhor qualidade) ganha mais espaço, não importando se é brasileiro ou não.

GUTS

Gory UltimateTournament Show
Divulgação
Gory UltimateTournament Show

Embora o Gory UltimateTournament Show seja um jogo do gênero luta, o combate promete muitas risadas aos gamers. O jogo se passa em um reality show e o vencedor é aquele que consegue arrancar o membro de seu oponente, baseando-se totalmente em uma violência cômica e na necessidade do jogador de se adaptar sem uma perna ou um braço.

Além da alta quantidade de sangue na tela, GUTS promete causar algumas “polêmicas” após o seu lançamento no segundo semestre de 2017, “com o seu humor politicamente incorreto”, enfatiza o empresário.

A versão prevista para julho deste ano traz mais personagens do que a testada na BGS, balanceamento mais equilibrado, além de uma narração mais contínua e um cenário pronto. Ficou com vontade de jogar? Paulo acredita que até o final do primeiro semestre já tenha algo para ser testado entre os gamers.

É possível conferir outros projetos da Flux Game Studio clicando aqui .

Se você nunca jogou uma produção independente e se interessou pelo assunto, confira o site: Labindie. Com . Lá se encontram várias publicações do ramo, além de links de compra dos jogos que estão disponíveis para Android, IOS, PC, OSX, Web e outros.

+Descoberta da Semana: Sobreviva a um dia caótico de trabalho e Não Seja Demitido

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.