Tamanho do texto

O Polybius é um arcade do final da década de 80, cercado de teorias da conspiração. Confira os principais mitos por trás do game

Lançado em 1981, Polybius foi um daqueles jogos simples, mas que causaram muita polêmica. Na época, a maior febre do momento eram os fliperamas.  No entanto, muita gente questiona as reais intenções por trás desse misterioso arcade.

Especial Halloween: The Theater, o jogo do cinema maldito

Polybius: o arcade que seria uma experiência do governo
Reprodução
Polybius: o arcade que seria uma experiência do governo

Para começar a contar essa história, é importante ressaltar que os boatos em torno de Polybius teriam começado a surgir em 1998, cerca de 20 anos após seu lançamento, em 1981. Toda a teoria da conspiração começou quando, anonimamente, o arcade foi incluído no site colaborativo coinop.org , famoso por reunir informações sobre fliperamas. A inclusão ainda dava detalhes sobre a data de lançamento, a empresa que o havia produzido (Sinneslöchen, algo como “privação sensorial”) e a existência de uma pessoa que havia obtido a ROM do game.

Missão: matar zumbis! Confira a seleção de games para acabar com os mortos-vivos

O arcade podia ser encontrado em apenas algumas cidades do Oregon, nos Estados Unidos, onde as unidades teriam sido instaladas misteriosamente. O jogo ganhou milhares de fãs em um período de tempo muito curto, pois era extremamente viciante. As filas nos fliperamas das cidades para jogar o game eram gigantescas. De tempos em tempos, homens de terno preto iam até as máquinas e recuperavam informações (mas nunca o dinheiro) – supostamente, o game estava em fase de testes e a desenvolvedora queria estudar os hábitos dos gamers da região.

Problemas à vista

No game, um turbilhão de forma hexagonal brilhava na tela, formando imagens vetoriais e havia uma pequena nave triangular que atirava contra esse turbilhão. Em direção ao jogador, eram lançados diversos feixes de luz, ondas piscantes girando, que se tornavam extremamente coloridas. Essas luzes assemelhavam-se a descrições de efeitos psicodélicos causados por determinadas drogas, como o LSD. Foi aí que começou o problema.

Algumas crianças sofreram amnésia depois de jogar – elas não lembravam coisas básicas, como seus nomes, ou endereços. Outras, tiveram ataques epiléticos, insônia, pesadelos, terror noturno, náuseas e enxaqueca. Houve também muitos boatos de tentativas de suicídio e casos de aversão a jogos. Além disso, outro tipo de relato surgiu: pessoas que viam figuras assustadoras e rostos grotescos pelo canto dos olhos.

Polybius foi citada na série
Reprodução/Youtube
Polybius foi citada na série "Os Simpsons"

Tudo isso contribuiu para que a versão de que Polybius seria um experimento do governo norte-americano se propagasse. De acordo com essa teoria, o game foi feito por militares ligados ao governo  usando algoritmos desenvolvidos pela CIA. A intenção pro trás disso era o controle de comportamento, com o objetivo de eliminar a vontade de jogar fliperamas e videogames. Os líderes estariam preocupados com o fascínio que esse mercado exercia sobre as crianças e queria exterminá-lo antes que saísse do controle.

Sad Satan: conheça as conspirações por trás do game que vai tirar seu sono

Contudo, apesar de todas as lendas e mitos que cercam Polybius, não existem comprovações de que o arcade tenha, de fato, existido. Em 2011, um boato de que uma máquina teria sido encontrada e seria leiloada no eBay levou a internet a loucura. Porém, nada mais falou-se sobre isso. A lenda do jogo do controle da mente ficou tão famosa que foi até citada no seriado "Os Simpsons".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.