Democratização dos smartphones é um dos motivos pelo aumento na receita; plataforma também exige menos investimento em publicidade

Em um período de quatro anos a Associação Brasileira dos Desenvolvedores de Jogos Digitais (Abragames) registrou aumento em sua receita de US$ 18,5 milhões. O crescimento se deve à diversidade de plataformas que podem ser exploradas pelo mercado de games.

LEIA MAIS: Brasileiro tenta tricampeonato na Copa do Mundo de Just Dance

Mercado de games brasileiro tem aumento na receita em meio a cenário de recessão
Divulgação/Nintendo
Mercado de games brasileiro tem aumento na receita em meio a cenário de recessão

Se alguns empresários têm reclamado da recessão econômica vivida no País, este não é o caso para o mercado de games e seus desenvolvedores, que cada vez mais têm prestado serviços.

Crise?

De acordo com o presidente da Abragames, Fernando Chamis, a alta do dólar e o foco no mercado internacional apenas contribuíram para o faturamento das empresas associadas.

A influência disso pode ser observada em um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), onde registrou que o volume de produção de serviços de tecnologia da informação cresceu 4,2%, enquanto o setor de serviços em geral obteve queda de 4,6%.

Em entrevista, a gerente executiva da Abragames, Eliana Russi, afirmou que o número de empresas associadas cresceu de 13, no ano de 2013 para 125 no mês de janeiro de 2017, o que significa um aumento de mais de 900% no número de desenvolvedoras.

LEIA MAIS: Call of Duty: Os números mentem ou o jogo está em decadência?

Criação

Em meio a um contexto onde cada vez mais o público gamer está exigente, é possível se perguntar o quê – especificamente – essas empresas têm criado.

O curioso é que não existe uma tendência específica. Segundo Chamis, os desenvolvedores têm utilizado a criatividade e a sagacidade para descobrir um nicho – como, por exemplo, casual ou hardcore - para explorá-lo e garantir as receitas.

Em relação às plataformas também não há uma especificidade. Todas têm se mostrado rentáveis e impulsionadoras no mercado de games, especialmente os smartphones, que são mais acessíveis – financeiramente – o que proporcionou o aumento de público no mundo.

Além de maior proporção de público em potencial, os jogos de celulares têm custos mais baixos de criação, além um gasto não tão exigente na hora da publicação na App Store e na Google Play.

A realidade virtual também tem sido explorada pelo mercado de games, segundo a Eliana Russi, uma das vantagens do setor é que essa plataforma pode ser usada em simuladores, treinamentos, o que contribui não só para o entretenimento do público, mas também para setores da sociedade.

LEIA MAIS: Assista ao primeiro unboxing do Nintendo Switch